quarta-feira, dezembro 16, 2009

20 meses

O tempo voa.
Olho para este blog e vejo-o abandonado. Nem registos teus vou escrevendo para futuras memórias.
Tu és a agitação que faltava às nossas vidas.
Brutinho quanto baste. Detestas beijos e apertos. A mana, que tenta dar-tos a todo o momento, é empurrada. Tem direito a um ao levantar e a outro ao deitar.
Acho-te um piadão enorme mesmo sem falares. Mal chego a casa a primeira coisa que faço é dar-vos beijos. Tu dizes logo que não com aquele ar matreiro delicioso. Apetece-me comer-te…
Continuas com um palavreado que não é português.
Dizes mamã tantas vezes que vais acabar por gastar o nome. Mesmo a dormir soltas um mamãaaa arrastado. Também te amo minha flor pequenina.
Ábua (água) já sabes pedir e acha (bolacha) também. Fico descansada porque sei que entendes quase tudo e já te sabes desenrascar. Dizes não e na na na a quase tudo (menos a um pai natal de chocolate) e fazes ão ão ão a quase todos os animais.
Adoras fruta. Toda. Quanto à comida, não temos sucesso. Comes a sopa muitas das vezes distraído. Arroz e massa vão marchando. Tudo o resto é cuspido.
Tens-te mostrado bastante ciumento. A isto juntamos uma menina numa fase também de muito mimo e temos uma guerra pequenina a disputar colinhos. Chega para ambos e é isso que tenho feito. Um em cada joelho em que tu a vais empurrando disfarçadamente.
É delicioso ver-vos brincar juntos. Ela a tentar ensinar-te falar, tu a alagares os trabalhos dela...
És um menino doce, agora não de caracóis dourados, mas ainda cabeça amarelada.
E nós amamos-te muito, daqui até à lua.
Parabéns!

domingo, novembro 29, 2009

Diário de um fim de semana sem ti

Neste primeiro dia, sabia que ia correr bem. Tu estavas cá de manhã e saíste, como acontece quase todos os dias. A grande diferença é que não estarias cá ao deitar, hora problemática.

A tua mãe veio buscar o pirralho pequeno. Durante essa saída fiz a sopa, arrumei quartos, limpei vidros sempre com a menina a ajudar-me. Passava pouco do meio-dia o terceiro elemento juntou-se a nós. Dei sopa, a Nê comeu pela mão dela, almoçamos e deixei-os ir brincar enquanto arrumava a cozinha. 1 quadradinho de chocolate como recompensa.

Tentei ir adormecer o menino mas ela não queria ficar sozinha. Juntamo-nos os 3 no sofá embrulhados numa manta. Ele adormeceu no meu colo. Deitei-o na caminha e fiquei abraçada a ela. Não fiz nenhum…

A minha mãe e irmã apareceram, o puto acordou, lanchamos. Estivemos todos a brincar e a falar, a passar o tempo.

Demos banhos e jantamos, nesta hora já com a companhia do meu pai.

Por volta das 21h15, aproveitando ainda a presença dos meus pais, deitei o menino que estava perdido de sono. Adormeceu num instante. Ainda ficamos uma meia hora todos juntos mas os meus pais tinham que ir. A Inês não queria. Pedia-lhes para ficarem mais um “quiquinho”. Da primeira vez que ela pediu eles concordaram mas da segunda já não. Já eram horas de dormir.

Quando eles saíram, armou berreiro. A parte pior é que ia acordar o rapaz. Acordou-o…

Como eu não podia estar nos dois quartos ao mesmo tempo, dei-lhe um berro (maldita paciência), pedi-lhe para se acalmar que eu ia adormecer o mano e que já voltava.

Ficou na cama a solução. Sempre que ouvia mais um soluço doía-me a alma, mas aguentei.

Ele adormeceu e deitei-me com ela. Falamos um bocadinho e expliquei-lhe que estava sozinha e que não podia estar com os 2 ao mesmo tempo. Adormeceu.

Saí finalmente para o meu momento. Passei a ferro…

O catraio começou a tossir. Muito. Pela primeira vez, meti-lhe lençóis de flanela. A tosse era seca tipo alergia. Ainda esperei uns minutos para ver se ele acalmava mas como não aconteceu, deitei-o na minha cama. Não tossiu mais.

Às 3h15 chamou-me ela, quase a chorar que lhe doía o joelho. Disse-lhe que era ela que estava a crescer e que faz doer os ossos. Voltou a adormecer.

Voltei para a minha cama e abracei-me ao corpinho pequenino que lá estava. Adormeci.

Às 5h30 voltou a chamar-me a dizer que lhe estava a doer outra vez o joelho. Fiquei lá uns minutos mas ela já dormia.

Retomei o meu lugar.

quinta-feira, novembro 19, 2009

Dela

Anda numa fase de pura teimosia e ciúme.
Se damos um beijinho ao rapaz pergunta logo se a ela não damos também.
Se dizemos ao moço que ele está giro, pergunta logo se não é linda também.
Claro que tentamos sempre, e acho que com sucesso, dividir mimos e beijos e palavras meigas. Mas o pequeno ainda não entende. Mesmo que eu não lhe ligue, pouco ou nada se importa. Mas ela sente. E eu admito que nem sempre estou para aturar as birras dela. Seja de sono ou de mimo ou de qualquer outra coisa.
(Agora deu-lha para todos os dias antes de se deitar chorar por nada. Fico com os nervos em franja e, mesmo que tente o máximo, nems empre me consigo controlar. Mea culpa. Adiante)
É uma criança extremamente meiga e carinhosa. Mas agora tem um "rival" que os tem no sítio. É super decidido e quando quer uma coisa consegue-a. Bate na mana, tira-lhe os brinquedos, foge-lhe, berra. E ela, coitada, acata porque ele ainda é pequenino...
Hoje deixei-lhe para vestir um gorro muito giro que tem um cachecol.
Levou-o no carro até à escola.
Ao chegar tirou-o e disse:
- Achas que vou levar isto? Por amor de Deus...

Vacina

Depois de muitas dores de cabeça, algumas noites mal dormidas, ficou ontem decidido, após visita à pediatra, dar a vacina.
O pequeno foi hoje às 12h30. Estavam apenas 3 crianças e eram as primeiras.
Compraram-no com um balão e pediram-me para aguardar 30 minutos após a vacina para verificar alguns efeitos secundários.
Fartou-se de brincar com os outros 2 meninos atrás de balões e cucus.
Almoçou e brincou como habitualmente.
Desde a minha saída não voltei a saber dele, mas está bem.
Claro que sim.
Há que ser positivo e acima de tudo confiar nos nossos médicos.
Sinto-me mais leve e agradeço ao pai dos meus filhos ser tão determinado e apoiar-me em tudo.

sexta-feira, julho 24, 2009

Mudanças

Esta semana resolvemos mudar o catraio de quarto.
Devido a preguiça nossa, ainda dormia no nosso. A maior parte das vezes na nossa cama. Mau hábito, sabemos disso, mas sabe tão bem ter um bébé ainda pequenino com umas mãozinhas lindas que nos procuram e nos acariciam.
Já tínhamos notado que o primeiro sono, na cama dele, era curto e atribulado. Dava com a cabeça nas grades, mexia-se imenso... e que depois de colocado na cama grande dormia toda a noite (agora acorda para beber água...). Gosta das coisas espaçosas. E toca a colocar a cama velha, a minha de solteira que veio da minha mãe, ainda que provisoriamente, no quarto dele e vamos experimentar.
Deve ter gostado porque já vamos na 3ª. noite e, apesar de ainda acordar para beber, já só o faz 1 vez (hoje acordou às 5h, desde as 21/22h e voltou a adormecer até às 8h).
E isto sim é música para os meus ouvidos. Eu que adoro dormir e que já nem me lembro da última vez que dormi uma noitinha assim inteirinha, seguidinha.
Está a crescer o meu rapazola.

segunda-feira, julho 20, 2009

Férias

Ainda não...
Venho pedir ajuda, conselhos, dicas.
Este ano decidimos ir para a zona da Nazaré. Já ouvimos falar muito bem destas praias mas desconheço completamente o local.
Digam-me sítios giros, podem ser mais para baixo ou mais para cima, praias... isso tudo.
A gerência agradece

terça-feira, julho 07, 2009

Fashion addict

Hoje ao chegar à escola (com o pai) para mais um dia de praia, viu uma das amigas.
- Ui. A L.S. parece tola!!
- Porquê Inês?
- Traz o mesmo vestido de ontem...
(pois. a quem sairá tão observadora. e comentadora...)

segunda-feira, julho 06, 2009

Férias

Começou hoje uma semana de praia com a escola.
Ao acordá-la disse-lhe que era hoje. Ficou histérica, sempre a gritar praia, praia.
Pequeno almoço no bucho, toneladas de protector, roupa fresca e siga que são horas.
Os 4. Fomos todos levá-la.
Claro que ficamos com o coração apertadinho.

sexta-feira, julho 03, 2009

É oficial



Já anda. E desarruma. E sobe. E cai.


Nada de novo. Está na altura. Apenas para registar. E para me dar dores de cabeça.


E já quer comer sozinho para nossa desgraça. Metade cai ao chão, uma parte na roupa e o restante na boca.


Novo brinquedo

Posted by Picasa

terça-feira, junho 09, 2009

Pérolas

A semana passada decidimos marcar consulta num(a) oftalmologista para o meu puto. Está melhor da conjuntivite, mas desde há algum tempo que "chora" muitas vezes. Só daquele olho.
Ligo para a clínica. Ok e tal, a médica vai de férias mas só vai a 9, marquemos para o dia 8 (ontem) às 18h30.
Como ainda fica a cerca de 20 minutos, pedi para sair mais cedo. Auto estrada (portagens), gasolina e às 18h20 lá estávamos.
Sempre com o piqueno atrelado, claro.
Ao chegar à recepção a menina disse que até já estava à nossa espera, e eu a pensar "óptimo que já vamos ser atendidos".
Mas não.
Diz que ficou sem computador na sexta-feira.
Diz que a médica antecipou as férias.
Diz que perdeu o meu contacto.
Diz que afinal não vamos ter consulta.
Diz que até podemos remarcar para o dia 15.
Temos pena...

segunda-feira, junho 08, 2009

Autoridades

Filha vai ao teu quarto buscar o creme para chegares à cara.
- Mas tu por acaso pensas que eu sou tua criada, é?

quinta-feira, junho 04, 2009

Estreias

O meu puto caiu da cama. 2 vezes...
Da primeira deve ter caído devagarinho (como se isso fosse possível) e ficou sentado. Não chorou e adormeceu logo de seguida. Da outra vez (2 noites após a primeira) foi um estrondo grande e chorou muito. Tanto que acordou a irmã que veio logo ver o que se passava.
Fora o aparato da situação, não ficou com mazelas.
A outra estreia foi a porcaria de uma conjuntivite que nos atingiu forte.
Começou pela pipoca, passou para o caracolito e para mim. Ao pequeno ainda está bastante visível, já foi visto por um médico e está a ser medicado.
Até dá pena olhar para aquele olhinho lindo, sempre fechado e inchado e avermelhado.
Espero é que a maré de azares se fique por aqui, no que às doenças diz respeito. É que já andamos fartinhos.

sexta-feira, maio 29, 2009

Ontem,

aproveitando uma saída do homem grande, experimentei deitá-los na mesma cama. Na dela. Imaginava que não ia resultar, mas arrisquei.
Os dois deitados lado a lado e eu sentada com a história na mão. Começo a ler e o puto levanta a cabeça. Digo para se deitar. Deita-se e ri-se da ordem dada. Uns segundos depois repete a cena, já na risota. Dou a ordem num tom mais elevado e volta a deitar-se. Chupeta na boca e olhão a mirar-me, levanta-se novamente já a rir-se para a irmã. Ela levanta-se também e diz-lhe para se deitar para ouvir a história. Crianças sossegadas, termino a leitura. Começam na brincadeira e eu deito-me ao lado dele, com a mão por cima para a dar à irmã...
Puto adormece em segundos. Digo à mana que volto já. Acaba por adormecer.
Volto ao quarto para proteger a cama das eventuais quedas. Ela acorda e diz-me:
- Sabes mãe, há bocado o mano acordou e abraçou-me!
(claro que o momento quase perfeito durou apenas até às 2 da manhã, mas valeu)

sexta-feira, maio 22, 2009

O meu gaijo

Porque ele também tem direito, cá está a cara laroca do meu puto.
Posted by Picasa

Comidas

No seguimento de alguns posts sobre filhos e comidas, não posso passar sem deixar o meu testemunho.
A minha filha comeu sempre muito bem e de tudo. Ainda hoje come a sopa todos os dias ao almoço e ao jantar. Às vezes faz cara feia mas come sempre. A seguir à sopa come o que houver. Não faço jantar todos os dias. Umas sandocas e umas saladas e tá no ir. Muita fruta, bolachinhas e pão com ou sem acompanhamento. Leite não é muito com ela, mas com dose quase dupla de chocolate marcha.
O rapazola é o oposto. Vou ficar com os cabelos brancos só de lhe dar de comer. Tudo o que seja comida de prato não entra naquela boca. Sopa só com circo. Come-a toda, é certo, mas com muitos intervalos e muitas palhaçadas e tambores. Adora fruta, pão, bolachas e iogurtes. E acho que, por ele, era mantido assim. E o que mais me irrita é que, mesmo não conhecendo a fruta (hoje comeu cerejas e nunca as tinha visto / provado) e tumba pra boca. Quando vê arroz ou massa ou carne fecha logo a boca e começa a fazer "bruuuu". E já não a abre até retirarmos a mão / colher.
O leite, que mamava sofregadamente, rejeita. Mesmo o de lata ou o de pacote, mal vê o biberon, vira logo a cara. Tem comido papa ao pequeno almoço e antes de ir para a cama. Quase sempre obrigado. Com livros e histórias para se distrair.
Eu sei que estava muito mal habituada. Que tenho uma boca santa (que me pede brócolos quase todos os dias...) e que agora me saiu na rifa um terror.
Peso?? Não faço ideia e deixei de pensar nisso. Mas, como ele nasceu sem percentil, mesmo que agora esteja no mais baixo, sempre aumentou qualquer coisa.
Portanto, mães de filhos que não gostam de comer, digam a vossa justiça.
O que fazer?
Será que o aceitam para troca?

quinta-feira, maio 14, 2009

Vi, gostei e copiei

Que tipo de mãe és?

MÃE INTELIGENTE, MODERNA E ANTENADA
A mãe com o signo lunar em Gêmeos é, antes de tudo, uma mulher muito inteligente! Ela tem uma tendência a racionalizar as emoções. A destreza geminiana e sua natural flexibilidade lhe permitem ser do tipo de mãe que se dobra, mas sem jamais se romper. É esperta e antenada com os tempos modernos, essa mãe não se deixa ficar para trás com facilidade. Ela sabe de tudo o que acontece ao seu redor, pois tem a antena ligadíssima!
(essa da antena até é verdade. e a da inteligência também, of course...)

segunda-feira, maio 11, 2009

Do fim de semana

Após uma ida à praia que se tinha revelado frustrante (muito vento e frio) resolvemos tentar novamente a sorte. O Sábado amanheceu choco mas já tínhamos decidido ir e não queríamos adiar o nosso passeio.
Trouxas metidas no carro (ter 2 filhos implica um sem número de sacos e saquinhos...) e rumamos às praias do Norte, normalmente muito ventosas.
Nesse dia tivemos 2 estreias: ela a comer "comida plástica", o que ficou aprovadíssimo, ele a comer areia...
O dia estava fantástico. Um calorzinho bom sem ser em demasia, vento quase nem vê-lo, apenas aquela brisa salgada que nos faz ter saudades do verão, das férias.
O Jo teve como presente uma onda malandra que o encharcou (aqui que ninguém nos ouve, vim eu a conduzir e ele sentadinho atrás no meio das cadeiras e em cuecas... hehe).
Depois de um banho relaxante, dormiram que nem uns anjinhos.
Ontem, Domingo fizemos bolo de chocolate (óptimo, simples e rápido) e pizza ao jantar. Tudo caseiro à excepção da massa, que as há óptimas e frescas no sítio do costume.
Em cheio, portanto.

sexta-feira, maio 08, 2009

A modos que é assim

Tentamos, no dia a seguir ao aniversário, que afinal só teve os 4 anos no dia 30 (...), deixá-la sozinha. Eu tentei.
Fui deitá-la e contei-lhe uma das história que recebeu de presente. No fim pediu para eu ficar um bocadinho. Fiquei uns minutos, disse-lhe que só ia ali um bocadinho e que voltava já. Voltei e lá continuava o olhão aberto. Voltei a falar-lhe, a dar-lhe uns miminhos e saí. Aqui já começou a choramingar e a pedir que eu ficasse. Voltei mas já não tão meiga. Pediu o pai, que queria dar-lhe um beijinho. O pai foi ao quarto e pediu nova história (!!!). No final pediu que ficasse mais um bocadinho e a cena repetiu-se novamente, desta vez com muito choro. Acabou por ficar lá sentado a dar-lhe a mão. Mas adormeceu sem nos ter deitados ali ao lado.
No dia seguinte, como já sabia para o que ia, começou logo a choramingar. Que não queria, que queria ir com o pai, que ele tinha que ficar ali sentadinho. Foi-se passando sempre desta forma até chegar ao limite, que foi na quarta-feira. Esteve a chorar 1 hora. Já com soluços e tudo. Que tinha que ter o pai ali deitado. No final, já fartinhos de a ouvir e antes lhe dar uma lapada que era a nossa vontade, dissemos que se lixe o negócio. Deitou-se aos pés dela e adormeceram.
Mas, ontem, o pai tinha uma saída à noite. E eu ficava com os dois. Drama, pensei eu. Ter que os adormecer. O puto adormeceu na mama. Chegou a hora dela e eu lá fui.
Contei-lhe a história, fiquei um bocadinho e disse que ia espreitar o mano. Voltei lá, novo beijinho e só vou ali levar umas roupitas. Não voltei.
Estava eu na cozinha quando ouvi os passos dela. Foi à casa de banho. Peguei-lhe ao colo e fui deitá-la. Mais beijinhos e mamã, dá-me a tua mãozinha só um bocadinho. Dei. O puto chorou... Disse-lhe novamente que ia ver o mano. Entre pegar nele ao colo e voltar a deitá-lo, ouvi-a ressonar.
Caramba.
Hoje voltas a sair, ouviste pá??

sexta-feira, maio 01, 2009

Mascote

Esta foi a lembrança que oferecemos aos amiguinhos da escola no 4º. aniversário da cachopa. Num dos lados tem o nome dela e a data. No outro lado tem "Mascote da nossa amizade". Todos adoraram.
É um porta-chaves que se desmonta e se transforma em caneta.

quinta-feira, abril 30, 2009

Nesta

coisa de pais e mães há muito que se lhe diga. E depois há aqueles seres minúsculos que nos vão alterar as rotinas e as formas de ser e ver a vida.
A ver:
A minha piolha que ontem elogiei, mas afinal era o dia dela e até o merece, nunca adormeceu sozinha. Nós, os morcões, não queremos que a bébé chore e até tá frio coitadinha e vai de adormecê-la ali deitadinho, ai que bom e que estou tão quentinho que não saio mais daqui.
Estipulamos que a partir dos 4 anos, que foi ontem, ela passaria a fazê-lo. Porque me faz falta alguém que me aqueça os pés. Afinal se fosse para dormir sozinha, não me casava...
Compenso no outro gaijo lá de casa, que me enche o coração mas não os braços.
E como eu estava dizendo, pela nossa lei ontem teria sido o primeiro dia que a rapariga se ia deitar sem ter ninguém que a aquecesse. Teria sido, não fosse ela tão convincente e tão pedinchona e o pai um coração mole. Ainda bati o pé, mas desatou num choro sentido e o papá alegou logo que afinal até era o dia do aniversário dela e que não a íamos fazer chorar.
Não sei o que se passou no quarto depois disto, nem sei se tentou apenas sentar-se e ler a história (parece-me que sim mas amuei e não perguntei nada).
Isto apenas para dizer que os filhos nos alteram as rotinas. Que vivemos quase para eles. Que esquecemos a outra parte. E que isso não devia acontecer.

quarta-feira, abril 29, 2009

Cheguei

agora da escolinha da minha menina. Onde fui festejar o seu aniversário juntamente com o pai e com os meninos da sala dela.
Ao chegar ela ainda estava na sala do soninho. A educadora foi buscá-los e ela entrou muito envergonhadita. Eu já estava sentada na mesa dela com duas criaturas a mexer-me nos brincos e no fio e a perguntar-me mil e uma coisas. Sentou-se ao meu lado, sempre encostadinha, no miminho.
Giro, giro foi todos a cantarem os parabéns e a bateram palminhas. E nós que gostamos tanto de estar lá, naquele momento tão importante da vida dela.
Muitos meninos fizeram desenhos para lhe oferecerem.
E ela lá estava sempre tão caladinha e a olhar para todos e a rir-se para nós.
E, prometo amanhã postar foto das lembranças, todos deliraram com o pequeno recuerdo que ela ofereceu. Original e diferente das usuais gomas e merdices que é costume oferecer.
Nós adoramos. Mesmo. Foi giro e divertido.
A nossa primeira festinha.

4 anos...

Faz hoje 4 anos que vieste ao mundo. Foi contigo que aprendi a ser mãe. 4 anos passaram e continuas a ensinar-me e a ajudar-me a ser cada vez mais e melhor.
4 anos... olho para ti e parece que foi ontem que te vi nascer. Ao mesmo tempo vejo uma menina que já pouco ou nada tem de bébé.
És uma criança muito meiga, alegre e terna. Não gostas de ver os outros tristes. Proteges imenso as tuas coisas, chegando a esconder as favoritas aquando da visita dos primos.
Começaste há pouco tempo a desenvolver o teu lado malandro mas nota-se nas tuas atitudes que nunca vais ser um "terror". És sossegada e adoras desenhar e pintar.
Sei-te uma criança feliz. Não só porque nos dizes mas porque se vê nos teus olhos, nos teus sorrisos.
E eu queto-te assim para sempre: Feliz.
Que tenhas um óptimo Aniversário.

quinta-feira, abril 23, 2009

Socialidades

A minha filha recebeu o seu primeiro convite de aniversário. Para ir festejar no Sábado às 16h.
Disse-me logo que queria ir.
Hoje foi de camioneta com a avó até à cidade. Foi a primeira vez e estava radiante. Até me disse que tinha um rebuçado mas que o ia guardar para o chupar na "camineta".
A vida social da minha filha é muito mais agitada que a minha.

quinta-feira, abril 16, 2009

1 ano

Hoje o dia acordou cinzento e chuvoso. Dia molhado, dia abençoado.
Faz hoje 1 ano que nasceste. Às quinze e quinze lá te arrancaram de mim, todo sujo e roxo e encolhido e assim te deitaram no meu peito, feito ratinho, minúsculo, perfeito.
E foi ali, naquele momento que eu soube(mos) que eras tu que faltavas. Vieste iluminar mais um bocadinho as nossas vidas, já ela iluminada.
Pelo pouco que vimos, é um pequeno furacão. Muito mexido, super bem disposto a esbanjar charme com tudo e com todos. É muito raro ouvir-te chorar, a não ser que caias ou que tenhas dores.
A tua relação com a mana é dos momentos que mais me marcam nesta dupla maternidade. És um bocado possessivo e não deixas que ela te tire os brinquedos. Lutas por ele e chegas a bater-lhe quando ela o alcança.
Costumo dizer que tens momentos orgásmicos quando a vês: gritinhos histérios, pulos de alegria e todo tu te ris.
És o meu anjinho de cabelo claro e caracolitos. Não sei onde foste buscar este fenómeno, mas és giro até fartar.
Lembro-me de comentar com o Jo, ainda grávida, que o mal de termos uma filha muito linda e super sossegada, era o ter medo do desconhecido que aí vinha, de como seria ele, o seu aspecto fisíco e psicológico.
Mas revelaste-te o filho perfeito. Para já...
Estamos a começar o desmame. Tomaste hoje pela primeira vez leitinho de farmácia. A experiência não correu lá muito bem. Queria tentar aliviar a pressão que é alimentar-te de manhã. No meio da correria de vestir e dar pequenos-almoços queria ter aqueles vinte minutos para mais umas corridas. Afinal tenho que estar sentada contigo ali (e que bem que sabe). Mas teríamos sempre esses momentos à noite, num ambiente mais calmo e relaxado.
Parece-me que foi ontem que nasceste, mas também que estás connosco desde sempre.
Foste umas das melhores coisas da nossa vida.
Parabéns!!

quarta-feira, abril 15, 2009

Há um ano atrás

estava numa consulta de rotina para vermos o estadp da minha barriga(ona).
Tudo muito atrasado. Esperar uma semana.
Lembro-me que saímos de lá tristes. E tomamos um café em silêncio. Porque estávamos à espera que nascesses e já tínhamos tudo preparado.
E voltamos para casa.

segunda-feira, março 30, 2009

Momentos

Os filhos estão melhorzinhos.
Claro que tive um fim de semana de m*rda. Fechada em casa porque esteve muito vento. E é melhor não arriscar. A arisca pirou-se ontem à tarde com os avós. O puto até adormeceu e deu-nos um tempinho a dois. Nada mau.
Há males que vêm por bem.

Ainda

no seguimento deste post.
Voltou ao ataque. Com mais garra, tipo leoa a proteger a sua cria.
Em casa disse-nos isto:
Sabes mãe, voltei a perguntar ao C. se ele queria ser meu namorado. Ele disse-me que não porque já tinha namorada. E eu disse-lhe que não tinha nada porque a ia deixar e ia namorar comigo.
....
Eu não acho isto normal.
Hoje, e após 1 semana sem ir à escola, ao acordar disse-nos que tinha sonhado com ele.
Primeiro Amor?? Já?

sexta-feira, março 27, 2009

Ter 2 filhos é muito bom

É sempre tudo a dobrar: beijinhos, abracinhos, mimo, colo, choros e doenças.
Ora pois, fica ela melhor, piora ele.
Para não ter que aturar ninguém, antecipei a consulta do 1º. ano (já??? 1 ano...) e marquei para hoje. Eu não posso mesmo ir e foi o pai lá de casa.
Mas como devem imaginar, se tenho uma mãe chata, como sogra deve ser do piorio.
Perguntei ao meu mais que tudo grande se ele queria / precisava que a minha mãe fosse com ele para ajudar. Disse-me que não. Mas nós sabemos que ela o iria pressionar para ir também. E ele disse-me: Não te preocupes que levo o carro anti-sogra (2 lugares).
Ok!

quarta-feira, março 25, 2009

A modos que é assim

A rapariga está encharcada até aos olhos...
Tenho maus genes no que diz respeito a doenças respiratórias.
Vai tomar antibiótico (Oraminax) e fazer vapores como já vem sendo hábito.
Na consulta não tinha febre e andou sempre a curtir. Fez exames a todos os nenucos existentes no consultório. Portou-se lindamente. Está com 15 Kgs e mede 1 mt. Elegante.
Eu fui quando havia de ter ido. Começou com febres na segunda e eu esperei os 3 dias. Como não apresentava queixas não havia necessidade de ir a correr para uma urgência.
Mãe (eu) muito mais descansada. Rapariga medicada e quase pronta para outra (mas só no próximo ano, ok?).
Obrigada a todas pelo apoio. Afinal eu tinha razão.

Estou farta de doenças

A minha filha tem andado doente.
Começou com tosse no Sábado, mas nada alarmante. Normal para a chegada da Primavera. No Domingo andou sempre febril, a rondar os 37,8º, 37,5º. Não chegou a ter febre. Na Segunda ao acordar tinha 38,2º. Dei-lhe ben-uron e não a levei à escolinha. Ficou no mimo dos avós com o irmão. Ao almoço estava muito bem disposta e passou a manhã na brincadeira. Febre nem vê-la. Ao final da tarde, disse-me a minha mãe, já estava choca, sem vontade para se levantar. À noite tinha 38,5º. Ontem o cenário repetiu-se.
Claro que eu com isto tudo me sinto uma má mãe. Porque se calhar era melhor tê-la levado ao médico logo na 2ª ou ter feito alguma coisa, mas não fiz.
Porque a miúda anda bem disposta e a febre só aparece à noite e ela nunca fica prostrada. E dorme bem, fora um ou outro ataque de tosse que lhe dá.
Ontem foi a uma enfermeira amiga que disse que era melhor ela ser vista pelo médico. Tratei de marcar a consulta. Vamos hoje às 15h.
Mas a minha mãe, que também já foi mãe de criaturas pequenas e doentes, adora dizer que eu facilito, que eu não sou nada preocupada, que já devia ter feito alguma coisa. E eu, que já me sinto pessimamente por ter a minha filha doente, ainda me sinto pior ao ouvi-la dizer aquilo.
Porque fico a pensar se ela terá ou não razão. Eu dou o meu melhor e faço tudo pelos meus filhos. Mas fico tão lixada quando ela me chaga a cabeça. Hoje de manhã deu-me vontade de lhe dar uma fraca resposta, mas contei até 100 e pirei-me.
Foi só um desabafo.

quinta-feira, março 19, 2009

A minha filha é uma azarenta, coitada.

Temos aproveitado estes finais de tarde para brincar um bocadinho no jardim.
O puto gosta é de bolas. Sento-o na relva com umas bolitas e ele lá fica contente da vida. Ela anda por ali a correr e a brincar enquanto eu apanho ou estendo roupa.
Na terça-feira pediu-me para andar no baloiço. O nosso baloiço é daqueles de pano que trouxemos da nossa lua-de-mel.
Sentei-a e dei-lhe um empurrão. Estava toda divertida quando dá um grito e me diz que se tinha magoado.
Começou a chorar a dizer que lhe doía muito. Tirei-a e reparei num bicho que vinha no joelho dela. Pareceu-me uma aranha mas ao pousá-la no chão o dito bicho desapareceu.
Ela continuava a chorar muito e dizia que tinha sido no rabo.
Tirei-lhe a roupa e estava lá uma picada. O dito bicho tinha vindo para as minhas calças e aí pude ver que tinha sido uma abelha.
A minha relação com estes bichos é péssima. Sou uma vítima de picadas de abelha.
Gelo, alcool, pomada.
Agora diz que quando a abelha viu aquele rabinho tão giro decidiu dar-lhe um beijinho.
Pena é estes beijinhos serem tão dolorosos.

segunda-feira, março 16, 2009

Ontem, no carro

os dois atrás.
Não é muito costume, mas como a viagem era pequena, resolvi aproveitar e sentir o prazer que é viajar ao teu lado e ouvir os nossos pequenos herdeiros.
Sabes mãe, quando o mano for mais velho, vamos andar sempre os dois aqui sozinhos, muito bem comportados e a conversar.
Não, a conversar não. A ouvirmos a Abelha Maia e a cantarmos.
(Momento mais que perfeito do dia).

11 Meses

e 6 dentes...
Parabéns puto.

sexta-feira, março 13, 2009

Precocidades

A minha filha quando entrou para a escola tinha um amigo. O Luís que vive perto da vó Lola. Era ela que ele procurava quando chegava da escola, era com ela que ele queria brincar, era com ela que passava os dias que tinha livres (férias).
Já na escolinha arranjou um namorado. Era o único que tinha o nome do irmão e, sendo assim, foi o escolhido. Brincavam juntos todos os dias, ficava triste quando ele faltava. Diziam as auxiliares que ele tinha sido feito para ela, que se completavam.
Mas entretanto surgiu um outro, mais matreiro. Começou por falar muitas vezes nele até que disse que também era namorado... Contou-me o meu pai que, numa das vezes que a foi buscar, ela estava deitada no meio dos dois namorados e que este último lhe estava a dar beijinhos na barriga e ela deliciada.
Bem, começa cedo a rapariga.
E dizia a toda a gente que tinha 3 namorados: o Luís, O R.P. e o V.H.
Há uns dias começou a falar no C., que ele faz-lhe "fixe" e que a ensinou a fazer "boleia". É a imagem de marca dos dois. Sabe que ele tem uma irmã bébé e que vem na carrinha da escola. Quando ela chega e ele já lá está, vem logo a correr para estar com ela e no outro dia, quando iam para a salinha todos de mão dada, disse que não queria ir com aquela menina e que queria ir com a Inês agarrando-lhe logo a mão. Ontem disse-me que almoçou ao lado dele. E que ele também era namorado.
Disse-lhe que isso já eram namorados a mais.
Ela, de mão na anca, respondeu que já ia fazer 4 anos e que por isso tinha que ter 4 namorados.
A mim parece-me bem.

quinta-feira, março 12, 2009

Uma história de amor

No 10º ano fiz um amigo. Era novo na escola e na turma. E era giro. As minhas colegas de turma tentavam uma aproximação a este novo colega, tímido. Quando ele entrou na sala disse-lhe que se sentasse ao meu lado. Era aula de matemática. Lembras-te?
Lembro-me de um misto de protecção e uma forma de me mostrar melhor que elas.
O tempo foi passando e a nossa amizade crescendo. Tivemos amores e desamores e partilhávamos isso. As férias doíam imenso porque na altura não havia telemóveis. Escrevíamos cartas. No Natal, em Agosto, nas ausências prolongadas. "Gosto de ti o dobro de ontem e metade de amanhã". Não conseguiamos viver um sem o outro.
Mas na vida há muita mudança e muitas voltas e a ausência aumentou. Já pouco falávamos, mas nunca o deixamos de fazer.
Até que um dia, no teu primeiro dia de férias, eu liguei-te cedíssimo. Tu disseste que querias dormir mas ficaste contente por te ter ligado e começamos a falar mais vezes, a estarmos mais vezes. E depois foste-me buscar, a mim e à minha irmã, no carro do teu pai, das nossas férias de Julho, à minha praia de sempre.
E começamos a estar quase todos os dias. Tinhas uma foto minha no teu quarto. A tua melhor amiga. Partilhávamos tudo.
Até que um dia, já farta de esperar, te perguntei se me ías pedir em namoro ou não. E demos o nosso primeiro beijo. Dentro de um carro, o seat ibiza do P., na torre da Penha.
Recordo esse dia (noite) como o primeiro da nossa vida.
Hoje amo-te ainda mais e sinto-me feliz por seres o pai dos meus filhos.
Uma história feliz da qual faço parte e que muito me orgulho.

Pior

do que ter que passar o dia fechada num gabinete é ter que o passar e não ter nada para fazer e conseguir ver da minha janela o lindo dia que está.

segunda-feira, março 09, 2009

E depois de

umas semanas de ausência, cá estamos quase a 100%.
Primeiro foi ele com uma amigdalite.
Depois ela com uma otite.
Apesar do antibiótico, começou com febres baixas. Estranho, pensamos. No dia seguinte o corpo cheio de manchas vermelhas. Grande susto, novamente urgências.
Chamam-lhe a 5ª. doeça das crianças. Que ia passar, dar-lhe banhos de água tépida para acalmar a comichão.
Passou, mas ficou no mimo 1 semana e meia.
Agora a preocupação é com o catraio que também pode apanhar a dita. A ver vamos.
Hoje lá foi para a escolinha. Ontem disse-nos que não queria ir. O pai disse-lhe que também não queria ir trabalhar mas que ia. E ela respondeu-lhe que, apesar de não querer, vai. E foi...

segunda-feira, fevereiro 16, 2009

10 Meses

E o que dizer que ainda não tenha sido dito antes??
Que és giro? Já disse.
Que és um amor? Já disse.
Que te amamos muito? Já disse.
És aquela estrelinha que faltava cá em casa. E contigo redescobrimos o prazer que é ter um bébé. Em tudo, mesmo nas noites mal dormidas.
E o prazer a dobrar quando te vejo com a tua mana? Não há palavras para o descrever.
És um puto fixolas.
Parabéns filhote!!

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Palavras dela

Ontem, acabadinha de chegar a casa, sou presenteada com os meus 3 amores sentados nas escadas.
Muitos beijinhos, como correu o dia e tal e coisa.
Ela que pouco diz do que se passa na escolinha, sai-se com um:
- Sabes mãe eu não sou filanista...
Nesta altura o pai já se tinha desmanchado a rir e eu, que não tinha entendido muito bem peço-lhe para repetir.
- Há meninos na minha sala que são filanistas, mas eu não sou filanista.
Ora repete lá o que são esses meninos.
- FILANISTAS.
Ok, pronto.
Depois disto ainda lhe pedimos para repetir umas 10 vezitas...

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

A vida tal como ela é

Toca o meu despertador às 6h45. Deixo-me ficar mais uns minutos na sorna. Geralmente a olhar para o meu bébé. Isto quando ele está a dormir a essa hora, que são raras as vezes.
Levanto-me para tomar banho. Ele fica na cama a brincar e o pai, ainda com um olhito fechado, vigia-o.
Acabo o banho e trocamos os papéis. Visto-me, com ele meio atrelado dou um jeito ao cabelo e sigo para a cozinha. Preparo o nosso pequeno almoço, não sem antes lhe dar uma bolacha. É um esfomeado.
O pai a esta hora já se pirou deixando-me entregue à bicharada.
Termino e vou acordar a Inês, sempre com ele. Quer logo saltar para a cama dela, toca-lhe, tenta ferrar-lhe, puxa-lhe o cabelo.
Ela tem dias... Ora acorda e também lhe dá beijos e abraços, ora o empurra e manda-nos sair do quarto. Enquanto os deixo aos dois na cama dela a brincar, ou a fazer de conta que brincam, preparo-lhe a roupa e pergunto-lhe como quer o pequeno almoço. Preparo-lhe o leite e rumamos à sala onde ligamos a televisão no canal 2 para ver os bonecos.
Ela toma o pequeno almoço e eu dou a mama ao puto. No final visto-a, lavamos os dentinhos e estamos prontos a sair de casa.
Há dias em que ela quer colo. Para além de toda a tralha que tenho que carregar ela quer colo. É difícil gerir isso nestes dias. Mas desço com o rapaz e com mais 1500 coisas, subo novamente para a ir buscar e descemos para o carro. Meto-os dentro e seguimos viagem.
Depois disto já nada me deita abaixo.

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Quase 10 meses e eu escrevo tão pouco sobre ele

É lindo.
Adoro vê-lo acordar. O babygrow, o ar estremunhado, o olhar a procurar alguém. Ao ver-me todo ele se ri.
Palra imenso mas é um podreco.
Só tem 2 dentes, 1 "à vampiro", não gatinha e se o tentamos pôr de pé, só se aguenta uns segundos e alapa-se logo.
É lindo o meu filho mais novo.
Já bate uma espécie de palminhas. Dá as mãos, muito juntinhas e mexe-as para os dois lados.
Já diz adeus.
Empurra as coisas quando não as quer.
Já goza connosco: dá à mãe esse bocadinho. Aproxima da nossa boca/mão e quando estamos quase a agarrar puxa para ele e ri-se.
Tem um ar marteiro, malandro.
É lindo o meu filho mais novo.
Às vezes olho-o de fora de mim mesma se isso é possível a uma mãe! Sinto muitas vezes a falta dele e nem quero pensar nas vezes que ele sentirá a minha.
É muito menos chorão que a irmã!
Hoje aprendeu a fazer caras feias. Mal lhe dizemos isso deita a língua de fora, só um bocadinho.
Não gosta quando lhe ralhamos ou dizemos não. Primeiro olha-nos como que a sondar se é mesmo ralhete ou não. A rir-se para nós. Se repetimos faz um beicinho e chora.
Quando adormece com o meu pai, mal está no colo dele encosta a cabeça ao ombro e começa a cantar, a murmurar, sei lá. Adormece em segundos (ainda tens que me ensinar a fazer isso).
É lindo o meu filho mais novo.

sexta-feira, janeiro 16, 2009

9 in, 9 out

Hoje, dia 16 de Janeiro completas 9 mesinhos de exterior.
E o que dizer de ti?
Tás giro, brincalhão e sorridente, "bidente"...
Adoras comer. Comes muito bem a sopa, a fruta e a papa, mas quem te dá pão dá-te tudo. Deliras quando o vês, começas a esticar o dedo a apontar para esse pedacinho que faz maravilhas em ti. Quando te vejo sossegado e quieto na tua cadeira, penso que tens com certeza um pedaço de pão na mão / boca.
Gosto de te ver pegar nas migalhas que encontras seja do que for com os 2 deditos e com a boca aberta pronta para as receber. Quase sempre acertas.
És louco pela tua irmã. Devo dizer isto todos os meses, mas acho que a loucura tem vindo a aumentar. Saltas, abanas-te, esticas os braços. Deliras!
As noites... bem, o que dizer das noite? Tens "dias". O teu costume é acordar por volta das 2 para mamar. É nesta altura que te deito na minha cama e continuo a dormir. Tu acabas por adormecer a mamar. Por volta das 4 acordas novamente, mas como estás ali ao lado, é só meter-te a mamoca na boca e tu lá ficas novamente. Volto a adormecer e só acordo com o despertador. Esta noite, por exemplo, só acordaste às 6h30. Depois da mamada das 2, claro.
Já sabes bem o que queres e não desistes facilmente.
És muito preguiçoso. Das pernas. Gatinhar não é contigo. Quando te deitámos de barriga para baixo, dás logo a volta.
Tivemos a pior passagem de ano, a tua primeira. Eu e tu num quarto de hospital. Isso não significa que o ano vá ser mau. Pelo contrário. É com as contrariedades da vida que aprendemos e sei que, a partir desse dia / dias, me tornei numa mulher e mãe melhor.
És a flor que faltava ao meu jardim.
E a vida contigo ao nosso lado faz muito mais sentido.
Parabéns filho!

sexta-feira, janeiro 09, 2009

2008

Wordle: Meus
aqui

SNOW

Coisa muito rara nesta cidade, Guimarães, hoje, agora, neste momento está a nevar.
Tudo branquinho, flocos lindos e gordos.
Adorava estar com a minha filhota para brincarmos um bocadinho.