quinta-feira, novembro 23, 2006

Nem és muito de birras. Quer dizer, és daquelas tipo têm que fazer o que eu quero senão choro, de teimosa impaciente, filha e neta única, mas normalmente não ligamos e a coisa passa rápido.
Mas ontem... nem sei dizer o que tinhas ontem (dormiste demais, foi o que foi). Acordaste às 11h00, comeste, por volta das 15h00 já estavas novamente a dormir e só acordaste às 17H00.
Devias estar cansada de dormir. Querias farra.
Algum choro... Querias o pai, querias a mãe, não querias nenhum, querias ver televisão, não querias ver aquilo, querias queijo, afinal já não, querias comer mas não querias, querias abrir a porta do frigorífico, querias aquilo, e aquilo era tudo e não era nada, não querias tomar banho e depois não querias sair.
Hora de jantar. Comeste tudo sem berros, sem choros. Será que era fome?
Não!!! No fim de jantar recomeçou. Mas agora era diferente. Não paravas um minuto sempre a tentar mexer na televisão, nos comandos, nas coisas que não deves. Um berro. Inês pára! Nada disso. E corrias à volta do sofá sempre com aquele ar do eu é que sei. Estavas impossível, imparável.
Perdemos a paciência... uma palmada e um berro. Choro, muito choro. Cama.
Remédio santo. Dormiu toda a noite.

1 comentário:

CsL disse...

Ah pois! é para vocês não ficarem mal habituados! :D
Boa Inês! redea curta nos pais, apesar que o fim não te terá agradado muito! lol! ;o)

Muitos Beijos,
CArla Sofia