segunda-feira, outubro 09, 2006

Li hoje um texto fantástico num dos meus blogs preferidos, sobre a blogosfera. Não o vou linkar porque acho isso um abuso.
O texto apesar de bastante extenso, define o que este mundo é: um meio pouco correcto para se alcançar determinados fins, onde as pessoas querem entrar e fazer parte, onde pensam que podem mandar.
Quando iniciei o meu blog não sabia (e se calhar ainda não sei) a dimensão que isto pode ter. Tento ser selectiva com o que escrevo e com as fotos que coloco da minha filha. Marca de água não tem, nem qualquer tipo de protecção. E porquê? Tenho a certeza que se houver alguém que pretenda fazer alguma maldade nada os irá impedir, por isso, porquê maçar-me?
E quem nos vem cá ver, se for amigo é bem vindo e tenho todo o gosto em o receber e em ler qualquer comentário, se for algumas das bestas que andam por aí a querer cuscar, por mim podem ir dar uma voltinha ao cavalo, pois não lhe ligo nenhuma. O meu blog é feito por nós, minha família, e para quem o quiser e gostar de ler. Faço e escrevo o que bem entender, apesar de moderadamente.
Tenho alguns blogs que visito regularmente. Alguns até várias vezes ao dia. E gosto de os ler, gosto de ter notícias daquelas pessoas que não conheço e que muito dificilmente vou conhecer, mas sinto que faço parte daquelas famílias, com algumas identifico-me completamente. Quando algum desses blogs termina, fico triste. É aquele sentimento que nunca mais vou saber o que foi feito deles, se estão bem, o saber que acabou. E nesses momentos sinto que afinal eles eram meus amigos. Ou eu era amiga deles. Não pretendo saber o porquê de tal decisão, mas fica um sentimento de vazio. Mas o blog é de cada pessoa e não temos que dar satisfações a ninguém.
Mas a única coisa que me dá vontade de dar estalos, é quando as pessoas vão a blogs que terminaram porque sim, e quase que exigem uma desculpa, um porquê. Mas afinal quem se julgam? Devem pensar que são melhores ou mais importantes, ou mais amigos.
Quando terminar o meu vai ser porque acho melhor para a minha família. Quem não gostar que não coma.

3 comentários:

Grilinha disse...

Amiga. Gostei muito do que escreveste. Quando acaba um blog fico com pena...se é um dos que sgo claro...mas cada um sabe de si...o máximo que posso dizer é para ir passando de vez em qundo no meu e ir dando noticias ou mandar um mail ou outro se quiser...explicações, não. Nem quantas vezes visito...nem se comento ou não...os blogs são em primeiro lugar nossos, são giros como recordação...acaba por ser giro divulgar um pouco das nossas alegrias...um pouco das nossas incertezas...obrigações? Não fazem sentido. Um beijinho

raquel disse...

Olá minha querida amiga,

Eu gosto muito de te ler...gosto muito de ti! És linda...uma grande mãe...e uma boa amiga!!!! Da mesma forma que o teu cantinho está sempre aberto para mim eu sei que tu sabes que o meu estará sempre de porta aberta para ti!!!
Espero que nunca desistas de escrever aqui...certamente que iria sentir a tua falta!
Beijinhos muito grandes
Raquel

Costinhas disse...

Só cheguei aqui agora... desculpa o atraso, mas o tempo antes de regressar ao trabalho, era bem mais escasso.

Se gostaste do texto que escrevi, eu também gostei de ler o teu.

Só é pena que nem todos sigam a tua postura. A vida iria ser bem mais fácil!

Beijocas