terça-feira, dezembro 11, 2007

Esta noite

tivemos pela segunda vez uma noite molhada.
Da primeira achei que tinha sido culpa minha porque não a levei ao pote antes de dormir, desta vez acho que foi culpa do quentinho que se fazia sentir na cama dela. Sim, eu estava lá.
Ela chamou-me e perguntei-lhe se queria fazer chichi. Não queria. Pelo menos naquele momento.
Tenho o hábito de dormir agarrada a quem estiver a meu lado. Ela não é excepção. Tinha a mão debaixo dela e senti um quentinho húmido... No fim um sorriso de quem estava consolada. E quentinha. E molhada.
Menos mal que desta vez não chorou. Tentei ser o mais rápida possível e ela ajudou-me. Tirada a roupa da cama levei-a para a nossa. O pai acordou ao ouvir os nossos passos e da boquita dela um gosto de ti papá.
Claro que o acordar foi demorado. O frio lá fora era muito e a vontade de ficar também.
Já na minha mãe saltou para a cama onte ainda estava o avô. Na hora do até logo, quis acompanhar-me ao carro. Nem sempre o quer mas eu gosto.
Hoje ficou a ver-me sair. A dizer xau, a olhar-me triste. E eu fiquei a ver aquela pequena menina, tão minha, tão linda.
E é nestes momentos e nestes pequenos gestos que pondero tudo e que me dá uma vontade de ficar ali com ela.
Mas não posso e sei disso.

2 comentários:

Monica disse...

:)

sorrisos da minha alma disse...

:-) Somos todas iguais, sai da cama dela eram 3h, ás 4.30 estava ela na minha, entre o pai e eu lolll.

O xixi sem stress, ela vai chegar onde todo o ser humano chega.
Beijos e espero que esteja tudo bem com o embutido.